DESTAQUE

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Natan Brito (Banda e Voz) e seus Desenhos Preferidos


Esta é a terceira edição de: Meu Desenho Preferido, desta vez com a participação de Natn Brito (Banda & Voz).

Carinhosamente via facebook nos informou que os desenhos que muito assistia em sua infância foram os clássicos: O Incrível Hulk, Capitão América e Thor.

O Incrível Hulk é um dos personagens mais conhecidos das histórias em quadrinhos. Foi o super-herói da segunda série de histórias criada porJack Kirby e Stan Lee, em 1962, dando continuidade à revolução dos quadrinhos iniciada com o Quarteto Fantástico. Seu nome verdadeiro é Dr. Robert Bruce Banner.

Tudo começou em 1966, quando os primeiros heróis da Marvel chegaram às telas. Assim como foi com o Homem de Ferro, o Hulk foi um dos clássicos heróis contemplados a ganhar seu espaço no desenho de 1966 da série “The Marvel Superheroes”, curiosamente apelidado no Brasil de Super-heróis Shell.
Hulk


O mais curioso dessas animações são o fato de que elas eram totalmente aproveitadas dos desenhos originais de Kirby, direto das revistas. Assim, a sensação para quem vê um episódio destes é quase a mesma de ver seu gibi antigo em movimento.

Foram 13 episódios divididos em três partes de seis minutos cada um, com o conhecido radialista Max Fergunson fazendo a voz do gigante verde e ator canadense Paul Solsinterpretando Bruce Banner. A duração foi de um ano, quando também se encerraram as animações do Thor, Capitão América, Namor e Homem de Ferro que completavam a série.

Depois disso, demorou quase vinte anos para o Hulk voltar a ter seu traço em movimento na TV. Em 1982, um novo desenho do Hulk ia ao ar. Foram cerca de 13 episódios com animação bem superior ao desenho anterior e que dividiu por um tempo as atenções dos fãs que acompanhavam os desenhos de “Spiderman and his Amazing Friends”.

Thor - Thor apareceu na telinha pela primeira vez num show com vários desenhos criados em 1966 pela Grantray-Lawrence Animation para a empresa Filmation.

A série era famosa por aproximar muito os quadrinhos da TV, já que os desenhos tinham poucos movimentos, devido a falta de verba da produtora. Os desenhos ganharam aqui no Brasil o apelido de "desenhos desanimados".
A animação era rudimentar e aproveitando praticamente os próprios desenhos feitos para as HQs, os personagens mal se moviam, não andavam, mas deslizavam na tela; nos diálogos só as bocas mexiam; eles tinham apenas piscadas de olhos durante closes e ainda, muitas cenas eram reaproveitadas em vários episódios. Junto com efeitos sonoros de socos, por exemplo, surgiam onomatopéias grafadas na tela como: "Pow!" e "Soc!".

Produzido por Steve Krantz (que depois produziria o polêmico longa Fritz, the Cat) para a Grantray-Lawrence Animation, os heróis escolhidos para estrelar o programa foram: Capitão América, Hulk, Namor, o Homem de Ferro e Thor . Cada um deles tinha um programa de meia hora que apresentava três episódios.



O desenho estreou no Brasil em 1967 juntamente com as revistas em quadrinhos da Editora EBAL, como estratégia de uma grande campanha publicitária da companhia Shell, que distribuía exemplares das revistas gratuitamente nos postos de gasolina.

A abertura do desenho do Thor no Brasil, era exclusiva. Os desenhos, por aqui tiveram 3 dublagens, sendo a primeira a mais cultuada, pois tinha as músicas de abertura dubladas pelo grupo MPB4.
Quando os Heróis Marvel retornaram à TV, em 1975 (Tupi), a abertura brasileira não entrava mais no ar, pois havia se perdido nos arquivos. Assim, Thor passou a ir ao ar com a abertura original em inglês. Em compensação, em 1982, na redublagem, outra letra para a abertura do herói foi composta.

Capitão América (Captain America, em inglês), é o alter ego de Steve Rogers, um personagem de HQ (história em quadrinhos) da Marvel Comics. Foi criado por Joe Simon e Jack Kirby, apareceu pela primeira vez em Captain America Comics #1 (Março de 1941).O Capitão América foi o maior de uma onda de super-heróis surgidos sob a bandeira do patriotismo estadunidense, que foram apresentados ao mundo pelas companhias de histórias em quadrinhos, durante os anos da Segunda Guerra Mundial. Ao lado de seu parceiro Bucky, o Capitão América enfrentou as hordas nazistas durante a Segunda Guerra Mundial, mas o herói caiu na obscuridade após o fim dos conflitos.

O desenho animado que trazia o herói às telinhas estreou em 1966, ao lado de mais quatro personagens, cada um protagonizando o seu próprio desenho, Hulk,Namor, o Homem de Ferro e Thor. A animação era rudimentar e aproveitando praticamente os próprios desenhos feitos para as HQs. Os personagens mal se moviam, não andavam, mas sim deslizavam na tela; nos diálogos só as bocas mexiam; eles tinham apenas piscadas de olhos durante closes e ainda, muitas cenas eram reaproveitadas em vários episódios. Junto com efeitos sonoros de socos, por exemplo, surgiam onomatopéias grafadas na tela como: "Pow!" e "Soc". 

Em suas aventuras, Capitão América combatia soldados nazistas, lutava contra o comunismo russo e defendia a bandeira e o povo americano contra qualquer ameaça à sua nação. O principal vilão das aventuras era o temível Crânio Vermelho (nos quadrinhos conhecido como Caveira Vermelha). 

Com aventuras iniciadas na revista em quadrinhos Vingadores 4 (março de 1964), quando o Capitão América reestreou nos quadrinhos, Thor, Homem de Ferro, Homem Gigante e Vespa, além da Feiticeira Escarlate, Mercúrio e Gavião Arqueiro, apareceriam em vários episódios do Capitão América. 








O desenho estreou no Brasil em 1967 juntamente com as revistas em quadrinhos da Editora EBAL, como estratégia de uma grande campanha publicitária da companhia Shell, que distribuía exemplares das revistas gratuitamente nos postos de gasolina.
A abertura do desenho do Capitão América no Brasil, era exclusiva. Os desenhos, por aqui tiveram 3 dublagens, sendo a primeira a mais cultuada, pois tinha as músicas de abertura dubladas pelo grupo MPB4.

Quando os Heróis Marvel retornaram à TV, em 1975 (Tupi), a abertura brasileira não entrava mais no ar, pois havia se perdido nos arquivos. Assim, o Capitão América passou a ir ao ar com a abertura original em inglês. Em compensação, em 1982, na redublagem, outra letra para a abertura do "Capitão" foi composta.

Mesmo com essa quase-animação os desenhos fizeram bastante sucesso no Brasil, com os episódios exibidos também em dois programas muito conhecidos no passado, o programa do Clube do Capitão Aza e o Pullman Júnior.


Pullman Júnior.

Fontes:
Wikipédia
Marvel 616
InfanTv


video
video
video
video

1 comentários:

Ronaldo disse...

foi a melhor epoca mesmo eu tambem vivi esse tempo e ate hoje tenho muitas saudades foi um mundo totalmente diferente desse agora, na musica nos desenhos nos quadrinhos na escola, aqueles tempos foram os melhores em tudo isso

Postar um comentário