DESTAQUE

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Os Três Patetas



The Three Stooges (no Brasil, Os Três Patetas; em Portugal, Os Três Estarolas) foi um grupo cômico norte-americano do século XX, em atividade desde 1922 até 1970, mais conhecido por seus numerosos curta-metragens. Sua comicidade era marcada pela extremacomédia pastelão e farsa física.

A primeira formação do grupo consistia em Moe Howard, Larry Fine e Shemp Howard, que apareceram junto com Ted Healy no longa-metragem Soup to Nuts (1930), da Fox Film Corporation. Shemp retirou-se do grupo em 1932 para seguir carreira solo, e foi substituído por seu irmão mais novo Curly Howard. Esta formação do grupo apareceu com Healy em vários filmes da Metro-Goldwyn-Mayer, de 1933 a 1934.

Moe, Larry e Curly deixaram Healy em 1934 e se mudaram para a Columbia Pictures, onde passaram a estrelar sua clássica série de curta-metragens. Quando Curly retirou-se do grupo após sofrer um derrame cerebral, o cargo de "terceiro pateta" voltou a ser ocupado por Shemp, e posteriormente por Joe Besser. Ao todo, o grupo protagonizou 190 curta-metragens para a Columbia entre 1934 e 1958.

Depois do cinema, os curtas foram exibidos na televisão, possibilitando o nascimento de uma nova geração de fãs. Com o ressurgimento da popularidade d'Os Três Patetas, Moe e Larry convidaram Joe DeRita (apelidado de "Curly-Joe") para juntar-se ao grupo. Moe, Larry e Curly-Joe estrelaram vários filmes de longa-metragem entre 1959 e 1970.

fonte: Wikipédia

Veja também os Robobos - versão desenho animado:


Os Robobos

The Robonic Stooges - (CBS,1978)
"Mais rápidos do que uma locomotiva, capazes de saltar enormes edifícios com as suas molas... os Robobos"
Assim era a abertura rapidinha desta adaptação animada da série: OS TRÊS PATETAS.

MOE, LARRY e CURLY, os atrapalhados patetas eram agentes secretos metade homem, metade robô. Isso mesmo, aproveitando as tecnologias avançadas do final da década de 70, os estúdios Hanna-Barbera, depois do sucesso de Dinamite, o Bionicão (1976), resolveu homenagear as três figuras mais populares do mundo do humor, sendo fiel nas caricaturas dos atores e conservando as características de cada personagem.
Os Robobos moravam num casebre, disfarçados de simples humanos. Mas bastava uma chamada do chefe 00Zero para que nossos ídolos corressem a uma cabine telefônica falsa -"Para os uniformes. Robobos, avante!" - e se transformassem nos heróis biônicos: os Robobos.
O uniforme deles era um macacão com capa e a letra inicial do nome de cada personagem estampada no peito (que funcionava como um compartimento de objetos e acessórios).
Vale lembrar que o macacão do Curly era uma roupa íntima de dormir. Seus poderes não passavam de alongar o pescoço, os braços e as pernas biônicas ou voar através de um jato embutido em suas botas. Mas de super heróis mesmo não tinham nada, era uma confusão atrás da outra, como nas deliciosas aventuras da série de TV.
Já o nervoso chefe 00ZERO aparecia nos lugares mais inesperados, como embaixo de uma pedra, dentro de uma latinha de refrigerante, numa página de um livro, dentro da boca de um elefante... e com a cara sempre fechada e mal-humorada passava as missões mais impossíveis aos Robobos, que morriam de medo dele.

Os Robobos era umadas atrações de cinco minutos de duração apresentadas dentro do show OS LOCOMOTIVOS, que no Brasil foi ao ar em 1978, aos domingos, meio-dia.


No Brasil Brasil

  • Moe: Guálter França
  • Larry: Ionei Silva e João Jaci
  • Curly: Orlando Pradoo
  • chefão Triplo Zero: Mílton Luís
    fonte: Hanna Barbera




video











sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Natan Brito (Banda e Voz) e seus Desenhos Preferidos


Esta é a terceira edição de: Meu Desenho Preferido, desta vez com a participação de Natn Brito (Banda & Voz).

Carinhosamente via facebook nos informou que os desenhos que muito assistia em sua infância foram os clássicos: O Incrível Hulk, Capitão América e Thor.

O Incrível Hulk é um dos personagens mais conhecidos das histórias em quadrinhos. Foi o super-herói da segunda série de histórias criada porJack Kirby e Stan Lee, em 1962, dando continuidade à revolução dos quadrinhos iniciada com o Quarteto Fantástico. Seu nome verdadeiro é Dr. Robert Bruce Banner.

Tudo começou em 1966, quando os primeiros heróis da Marvel chegaram às telas. Assim como foi com o Homem de Ferro, o Hulk foi um dos clássicos heróis contemplados a ganhar seu espaço no desenho de 1966 da série “The Marvel Superheroes”, curiosamente apelidado no Brasil de Super-heróis Shell.
Hulk


O mais curioso dessas animações são o fato de que elas eram totalmente aproveitadas dos desenhos originais de Kirby, direto das revistas. Assim, a sensação para quem vê um episódio destes é quase a mesma de ver seu gibi antigo em movimento.

Foram 13 episódios divididos em três partes de seis minutos cada um, com o conhecido radialista Max Fergunson fazendo a voz do gigante verde e ator canadense Paul Solsinterpretando Bruce Banner. A duração foi de um ano, quando também se encerraram as animações do Thor, Capitão América, Namor e Homem de Ferro que completavam a série.

Depois disso, demorou quase vinte anos para o Hulk voltar a ter seu traço em movimento na TV. Em 1982, um novo desenho do Hulk ia ao ar. Foram cerca de 13 episódios com animação bem superior ao desenho anterior e que dividiu por um tempo as atenções dos fãs que acompanhavam os desenhos de “Spiderman and his Amazing Friends”.

Thor - Thor apareceu na telinha pela primeira vez num show com vários desenhos criados em 1966 pela Grantray-Lawrence Animation para a empresa Filmation.

A série era famosa por aproximar muito os quadrinhos da TV, já que os desenhos tinham poucos movimentos, devido a falta de verba da produtora. Os desenhos ganharam aqui no Brasil o apelido de "desenhos desanimados".
A animação era rudimentar e aproveitando praticamente os próprios desenhos feitos para as HQs, os personagens mal se moviam, não andavam, mas deslizavam na tela; nos diálogos só as bocas mexiam; eles tinham apenas piscadas de olhos durante closes e ainda, muitas cenas eram reaproveitadas em vários episódios. Junto com efeitos sonoros de socos, por exemplo, surgiam onomatopéias grafadas na tela como: "Pow!" e "Soc!".

Produzido por Steve Krantz (que depois produziria o polêmico longa Fritz, the Cat) para a Grantray-Lawrence Animation, os heróis escolhidos para estrelar o programa foram: Capitão América, Hulk, Namor, o Homem de Ferro e Thor . Cada um deles tinha um programa de meia hora que apresentava três episódios.



O desenho estreou no Brasil em 1967 juntamente com as revistas em quadrinhos da Editora EBAL, como estratégia de uma grande campanha publicitária da companhia Shell, que distribuía exemplares das revistas gratuitamente nos postos de gasolina.

A abertura do desenho do Thor no Brasil, era exclusiva. Os desenhos, por aqui tiveram 3 dublagens, sendo a primeira a mais cultuada, pois tinha as músicas de abertura dubladas pelo grupo MPB4.
Quando os Heróis Marvel retornaram à TV, em 1975 (Tupi), a abertura brasileira não entrava mais no ar, pois havia se perdido nos arquivos. Assim, Thor passou a ir ao ar com a abertura original em inglês. Em compensação, em 1982, na redublagem, outra letra para a abertura do herói foi composta.

Capitão América (Captain America, em inglês), é o alter ego de Steve Rogers, um personagem de HQ (história em quadrinhos) da Marvel Comics. Foi criado por Joe Simon e Jack Kirby, apareceu pela primeira vez em Captain America Comics #1 (Março de 1941).O Capitão América foi o maior de uma onda de super-heróis surgidos sob a bandeira do patriotismo estadunidense, que foram apresentados ao mundo pelas companhias de histórias em quadrinhos, durante os anos da Segunda Guerra Mundial. Ao lado de seu parceiro Bucky, o Capitão América enfrentou as hordas nazistas durante a Segunda Guerra Mundial, mas o herói caiu na obscuridade após o fim dos conflitos.

O desenho animado que trazia o herói às telinhas estreou em 1966, ao lado de mais quatro personagens, cada um protagonizando o seu próprio desenho, Hulk,Namor, o Homem de Ferro e Thor. A animação era rudimentar e aproveitando praticamente os próprios desenhos feitos para as HQs. Os personagens mal se moviam, não andavam, mas sim deslizavam na tela; nos diálogos só as bocas mexiam; eles tinham apenas piscadas de olhos durante closes e ainda, muitas cenas eram reaproveitadas em vários episódios. Junto com efeitos sonoros de socos, por exemplo, surgiam onomatopéias grafadas na tela como: "Pow!" e "Soc". 

Em suas aventuras, Capitão América combatia soldados nazistas, lutava contra o comunismo russo e defendia a bandeira e o povo americano contra qualquer ameaça à sua nação. O principal vilão das aventuras era o temível Crânio Vermelho (nos quadrinhos conhecido como Caveira Vermelha). 

Com aventuras iniciadas na revista em quadrinhos Vingadores 4 (março de 1964), quando o Capitão América reestreou nos quadrinhos, Thor, Homem de Ferro, Homem Gigante e Vespa, além da Feiticeira Escarlate, Mercúrio e Gavião Arqueiro, apareceriam em vários episódios do Capitão América. 








O desenho estreou no Brasil em 1967 juntamente com as revistas em quadrinhos da Editora EBAL, como estratégia de uma grande campanha publicitária da companhia Shell, que distribuía exemplares das revistas gratuitamente nos postos de gasolina.
A abertura do desenho do Capitão América no Brasil, era exclusiva. Os desenhos, por aqui tiveram 3 dublagens, sendo a primeira a mais cultuada, pois tinha as músicas de abertura dubladas pelo grupo MPB4.

Quando os Heróis Marvel retornaram à TV, em 1975 (Tupi), a abertura brasileira não entrava mais no ar, pois havia se perdido nos arquivos. Assim, o Capitão América passou a ir ao ar com a abertura original em inglês. Em compensação, em 1982, na redublagem, outra letra para a abertura do "Capitão" foi composta.

Mesmo com essa quase-animação os desenhos fizeram bastante sucesso no Brasil, com os episódios exibidos também em dois programas muito conhecidos no passado, o programa do Clube do Capitão Aza e o Pullman Júnior.


Pullman Júnior.

Fontes:
Wikipédia
Marvel 616
InfanTv


video
video
video
video

sábado, 10 de setembro de 2016

O Fantástico Mundo de Bobby


Bobby's World ou O Fantástico Mundo de Bobby (em português) é uma série de desenhos animados que conta as aventuras cotidianas do pequeno Bobby e da sua família. Um toque especial é dado pela presença do tio de Bobby, Ted, com suas camisas coloridas e seu cachorro Roger.
Além dos personagens animados, o desenho trazia um personagem humano (o ator e comediante Howie Mandel) que aparecia ao início e final de cada episódio, comentando-o e trazendo algum tipo de lição. O pequeno Bob pilotava o seu triciclo aprendia a desvendar o mundo, valendo-se da sua extraordinária imaginação.
A família do garoto também não ficava de fora das confusões, a mãe dele, Martha, era fã de Elvis Presley, sua irmã, Kelly, era uma adolescente "aborrecente" e o irmão mais velho, Derek, adorava pegar no pé de Bobby. O pai, Howard, aparecia no episódio em dose dupla, já que além de aparecer na animação, também interagia com o garoto no final de cada desenho, já na pele de Howie Mandel.
Em alguns episódios, Bobby tinha que fugir de uma garota de longos cabelos ruivos chamada Jackie, que era apaixonada por ele, apesar de não admitirem, alguns fãs acreditam que no fundo ele também a amava.
Em poucos episódios, Bobby se vê obrigado a visitar a sua tia Ruth, de quem antes de conhecer tinha muito medo.

Dubladores

A História.
O Sr. Generic era um homem de negócios que enfrentava os mesmos problemas de qualquer outro chefe de família de classe média, mas o seu diferencial é que ele encarava a vida sempre com muito bom humor. Já a mãe de Bobby, a Senhora Martha Generic, era uma mulher moderna e muito doce e que adorava chamá-lo de “meu pequeno herói”.

Estava sempre atenta a criação de Bobby, mas disciplinava os filhos com muita tranqüilidade. Suas qualidades maternas fizeram com ela participasse até de um concurso de melhor mãe.Bobby podia ter os privilégios de ser o caçula, mas para isso tinha sempre que enfrentar as pequenas desavenças com os irmãos mais velhos.

Sua irmã Kelly tinha 14 anos e suas maiores preocupações incluíam fazer compras, alcançar popularidade entre os colegas e paquerar, mas o que a menina gostava mesmo era de reclamar de tudo e de todos.

O maior medo de Kelly era de um dia passar vergonha na frente de outras pessoas. Já o insolente irmão do meio, Derek, tinha 10 anos, e seus dias eram preenchidos por esportes em companhia dos colegas, como skate ou baseball. Derek tinha a mesma preocupação com Bobby do que qualquer outro menino de sua idade, ou seja, nenhuma.Bobby era muito pouco compreendido por sua família, que não assimilava muito bem esse mundo de sonhos onde o menino vivia metido, por isso ele acabava apelando para outros amigos imaginários como sua aranha de pelúcia Webbly. As expressões de Webbly valiam por mil palavras, vivia sendo arrastada por Bobby pela casa inteira e era uma segurança para o garoto, pois quando ele se metia em alguma confusão em suas imaginações, como ser perseguido por um monstro, era Webbly que salvava o menino e o trazia para o mundo real.

Bobby podia ter como herói o Capitão Squash, de quem possuía os mais variados brinquedos e tranqueiras, mas o herói de verdade do menino era o seu Tio Ted, irmão de Martha, que vivia visitando a família e sempre aproveitava a oportunidade para brincar com o garoto, parecia ser um dos poucos que entendiam a mente fértil do menino, mas não podia estar sempre presente pois era vendedor e vivia viajando.

Além destes Bobby tinha o sheepdog Roger, outro inseparável companheiro em suas aventuras, que tinha um pêlo tão grande que até um boné de beisebol já foi encontrado dentro dele.

Como não podia faltar, o menino tinha uma tia chata, daquelas que vem lambuzando sua cara com beijos molhados, e sempre tem um elogio padrão do tipo “como você cresceu”, era a tia Ruth, uma senhora obesa que era a pedra no sapato de Bobby.

Na última temporada Martha ficou grávida e deu a luz a gêmeos, mas eles apareceram muito pouco nos episódios seguintes.
No Brasil.
Aqui no Brasil o desenho esteve no Sbt e na época era o grande trunfo da emissora para tentar concorrer com a Tv Colosso da Rede Globo. Anos mais tarde O Fantástico Mundo de Bobby foi apresentado por aqui pela Fox Kids.

fonte: Wikipédia
video video video